jump to navigation

Capitão América: aventura pra assistir mais de uma vez 29/07/2011

Posted by blogdolevitrindade in Atualidades, Cinema, Quadrinhos.
Tags: , , , , , , , , , ,
add a comment

Se você costuma passar pelo cinema de vez em quando, ou acompanha a divulgação de novos filmes pela internet, tevê ou jornais, já deve saber que estreia hoje o filme Capitão América: O Primeiro Vingador (Captain America: First Avenger), dirigido por Joe Johnston (O Lobisomem).

O longa-metragem é baseado no personagem das HQs que surgiu em 1941, no auge da propaganda antinazismo, criado pelo roteirista Joe Simon e o desenhista Jack Kirby, para a editora Timely Comics (a atual Marvel).

Steve Rogers, o jovem destinado a se tornar o heroico Capitão América, era um rapaz extremamente franzino e doente, motivo de chacota pros fortões. Mas o que lhe faltava em força e tamanho era compensado pelo seu coração disposto a fazer o possível para ajudar aqueles em necessidade. E é assim que ele acaba fazendo parte de um projeto ultrassecreto que o transforma num verdadeiro símbolo na luta contra a máquina de guerra de Adolf Hitler.

Essa é basicamente a premissa da origem do Capitão. Em meio a isso, surge o vilão Caveira Vermelha, que se torna um dos maiores adversários do herói ao longo das décadas. O roteiro do filme se apropria desses elementos para criar a sua própria versão da origem dos dois antagonistas, bem como acrescentar elementos novos que foram baseados em 70 anos de trajetória editorial do super-herói patriota.

Com aventura, humor e ação bem dosados, o diretor acerta em cheio na condução da trama, não deixando nunca a peteca cair. Claramente, ele foi muito beneficiado pelo elenco, que está primoroso. Chris Evan (Scott Pilgrim Contra o Mundo, Quarteto Fantástico), que deu algumas declarações aparentando ter muito medo da reação dos fãs quanto à sua escalação, pode dormir tranquilo, pois entregou uma interpretação que não compromete; aliás, não fica devendo pra ninguém do elenco.

Hugo Weaving surpreende ao dar vida a um Caveira Vermelha crível e completamente diabólico. Sem contar que ele parece estar curtindo muito ser o maior vilão a dar a cara nos cinemas nas produções hollywoodianas recentes.

Tommy Lee Jones faz o seu trabalho exemplar habitual, entregando o papel do coronel Chester Phillips em que dosa humor e seriedade sem se tornar caricato.

Sebastian Stan, que dá vida a Bucky Barnes, é o típico jovem estadunidense ansioso por combater os nazistas e aquele que fica com todas as garotas, enquanto seu amigo Steve se contenta em levar a vida sem maiores expectativas.

Stanley Tucci faz o que se espera dele: consegue trazer carisma e simpatia por um personagem que nunca foi tão explorado nos quadrinhos. No caso, o cientista Abraham Erskine.

Não posso deixar de citar Neal McDonough, que empresta seu talento para o militar Dum Dum Dugan, bastante conhecido dos fãs dos gibis da Marvel. Em alguns momentos, quando ele e a turma do Comando Selvagem surgem na telona, parece até que o diretor emprestou cenas de Bastardos Inglórios.

E o que dizer de Dominic Cooper e Toby Jones, que interpretam Howard Stark e Arnim Zola, respectivamente. Stark é o que se espera dele: canastrão, mulherengo, bon vivant e genial. Quanto a Zola, é o cientista que ajuda o Caveira nas empreitadas malucas dele. Se você já conhece o personagem dos quadrinhos, vai se divertir quando ele surgir pela primeira vez na tela.  

Bom, por fim, encerro falando de Hayley Atwell, a inglesinha bonita que faz o papel de Peggy Carter, a antiga paixão do Capitão. Dona de uma beleza clássica, além de tudo interpreta uma personagem audaciosa e determinada. Sua presença é muito marcante em todas as cenas em que aparece. Ah, sim, antes que eu me esqueça: Stan Lee faz a sua habitual ponta.

E pra quem tem receio de assistir ao filme por medo dele ser uma verdadeira aula de nacionalismo estadunidense, pode ficar sossegado, pois o diretor se afastou o máximo que conseguiu desse aspecto. Na verdade, ele apelou mais pra empatia que todos podem ter ao ver os dramas de Steve Rogers e a sua tenacidade em conquistar seus objetivos.

Como não poderia deixar de ser, é desnecessário dizer que não se pode sair da sala de projeção depois dos créditos, pois tem uma cena pra fazer uma ponte com a próxima superprodução do Marvel Studios,o filme dos Vingadores, que estreia no ano que vem. Apesar dessa necessidade em preparar o terreno pra superequipe, Capitão América tem um excelente roteiro e consegue entregar uma historia mais centrada em si, do que preocupada em mostrar outros personagens das produções futuras.

Capitão América: O Primeiro Vingador tem 124 minutos de duração e está sendo exibido nas versões dublada e legendada, e vem também em 3D. Mas, sinceramente, o 3D não faz muita diferença no todo. Porém, tenho de admitir que em pelo menos uma cena o tontão aqui tomou o maior susto com um dos ricochetes do escudo do Capitão. Curta o trailer logo abaixo e depois se prepare pra ver o longa no cinema!

Anúncios

X-Men: Primeira Classe – vale a pena assistir de novo 01/06/2011

Posted by blogdolevitrindade in Cinema.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
7 comments

Segunda-feira, dia 30 de maio, fui à pré-estreia de X-Men: Primeira Classe (X-Men: First Class), e pude conferir o tão aguardado novo filme da franquia mutante.

Pra começar, o peso de Bryan Singer (X-Men, X-Men 2) como produtor e corroteirista se faz sentir em muitos momentos do longa, mas sem apagar o brilho próprio do diretor Matthew Vaughn (Kick-Ass, Stardust). Sinceramente, não vejo isso como um ponto negativo; na verdade, a soma das habilidades de ambos resultou num produto final muito bacana.

O elenco está sensacional, com especial destaque para os atores que dão vida a Banshee, Mística e Fera, respectivamente Caleb Landry Jones, Jennifer Lawrence e Nicholas Hoult. Como não poderia deixar de ser, os atores James McAvoy e Michael Fassbender entregam interpretações inspiradas de Charles Xavier e Magneto, repetindo o feito da dupla Patrick Stewart/Ian McKellen nos três filmes anteriores estrelados pelos mutantes da Marvel.

Mas se tem um ator que me surpreendeu foi Kevin Bacon, que, fazendo jus ao seu sobrenome, é maligno na medida certa – ou você acha que o bacon é seu amigo? -, dominando as cenas em que aparece. Ou seja, ele é o cara! Sua atuação como o maquiavélico Sebastian Shaw é tão boa ou melhor do que bacon!

Agora, se teve alguém que não impressionou muito foi a atriz January Jones, que faz o papel de Rainha Branca. Nos quadrinhos, ela é o símbolo máximo da luxúria e da voluptuosidade. Porém, em X-Men: Primeira Classe, ela parece mais uma ativista de alguma campanha pró-anorexia. Magrinha, viu…

Os figurinos estão sensacionais, remetendo à época em que se passa a história. E a costura que foi feita entre os fatos históricos e a saga dos mutantes no longa-metragem ficou fascinante e totamente crível.

Entre as coisas que todos esperavam ou não ver, estão a criação do Cérebro, o protótipo da Sala de Perigo, o Pássaro Negro…

Mas se teve algo que fez muita gente ficar bastante empolgado mesmo foram as participações especiais. Não vou falar aqui quais foram pra não estragar a alegria de quem ainda não viu. Porém, se você acompanhou todas as notícias que rolaram durante a produção do filme, deve saber de quem estou falando.

Ah, sim, e a cronologia? Bom, a menos que você seja um fã xiita, não vai ficar incomodado com os arranjos que foram feitos pra que alguns personagens aparecessem. E, na boa, não faz a menor diferença.

Enfim, se você precisa de algum motivo pra ir ao cinema e assistir ao novo X-Men, creio que posso dizer que é uma produção extremamente divertida, com drama e ação na medida certa. Só um detalhe: não teve nenhuma cena depois dos créditos. Que chato, hein, Fox?

Apesar disso, você nem vai reparar nesse detalhe bobo. O que vale mesmo é curtir as mais de duas horas de duração da película e esperar pela continuação – pois, assim que acaba o filme, você fica desesperado pra saber quando vem o próximo!

Não esqueça: X-Men: Primeira Classe estreia nesta sexta, 3 de junho! Pra não ficar chateado até lá, dê uma conferida no trailer logo abaixo.

Presidente do Marvel Studios comenta próximos filmes 28/01/2010

Posted by blogdolevitrindade in Cinema.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

A edição de março da SFX Magazine trouxe uma entrevista com Kevin Feige, o presidente do Marvel Studios, na qual ele fala sobre os futuros lançamentos. 

Feige falou sobre como Iron Man, Iron Man 2 (30 de abril), Thor (6 de maio de 2011) e The First Avenger – Captain America (22 de julho de 2011) prepararão o terreno para o que deve ser o maior filme de super-heróis da década: The Avengers (4 de maio de 2012).

 “É tudo diversão agora e nós estamos apresentando alguns novos personagens (em Iron Man 2), disse Feige à revista. “Mas não é só ficar enfiando um monte de gente nova. Esse é um dos pecados mortais das seqüências – ter personagens demais. Esta é uma história de Tony Stark, que vai se entrelaçar com a história do Thor e do Capitão América, e que já está enraizada com a história de Nick Fury e uma certa organização conhecida como SHIELD.”

Ele diz que o importante é focar em cada personagem. “Minha única preocupação é que quando lançamos uma franquia – qualquer que seja -, ela tem que conseguir se manter por conta própria. Então, quando The Avengers chegar em 2012, não será apenas um filme de super-heróis com um bando de caras com superpoderes. Serão cinco personagens (Homem de Ferro, Thor, Capitão América, Nick Fury e Hulk) que você já viu antes em outros filmes, aparecendo juntos pela primeiríssima vez.”

Feige também disse que não está fora de cogitação um segundo Incrível Hulk estrelado por Edward Norton. “Isso seria pós-Avengers, se acontecer… Acredito que há uma chance. Nossa intenção certamente é usar os mesmos atores de filme pra filme sempre que pudermos.”

O presidente do Marvel Studios foi questionado se será difícil mesclar a fantasia de Thor com o mundo tecnológico de Iron Man e The Avengers. “Não, porque estamos fazendo o Thor de Stan Lee, Jack Kirby, Walt Simonson e Straczynski. Não estamos fazendo um Thor de um velho livro sobre folclore nórdico. Nas histórias do Thor do Universo Marvel existe uma raça chamada de asgardianos e tem o lance de que nós estamos ligados à Árvore da Vida, da qual não temos consciência. É ciência de fato, mas não sabemos sobre isso ainda. O filme vai ensinar as pessoas sobre tudo isso.”

Perguntado sobre que outros personagens poderiam aparecer na tela grande após The Avengers, Feige disse que gosta de Doutor Estranho e que Homem-Formiga pode render uma boa história. Ele afirmou que sempre quis fazer algo com o Pantera Negra e também disse que o que os roteiristas Ed Brubaker e Matt Fraction fizeram com Punho de Ferro foi maravilhoso e que a mitologia do herói abre um novo leque de possibilidades. Por fim, Kevin Feige disse que gostaria de fazer um evento cósmico e que isso já existe no Universo Marvel nos quadrinhos.