jump to navigation

Trailer de Legend of the Fist: artes marciais de responsa 16/03/2011

Posted by blogdolevitrindade in Atualidades, Cinema.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

Fãs de filmes de pancadaria com excelentes coreografias já podem rejubilar, pois em breve chega aos cinemas mais uma obra do estilo preferido de longa-metragem de 11 em cada 10 caras.

Legend of the Fist – The Return of Chen Zhen mostra o histórico personagem chinês que volta da Primeira Guerra Mundial e se depara com seu país sendo assolado pelas forças japonesas. Como um verdadeiro super-herói, ele decide, então, criar uma persona secreta de vigilante e parte pra porrada contra os invasores (no começo do filme, sobram sopapos até pros alemães). Chegou a me lembrar de um filme do Jet Li, Máscara Negra, bem como do Kato, vivido por Bruce Lee no seriado do Besouro Verde.

Vale lembrar que o personagem Chen Zhen já foi retratado algumas outras vezes, sendo as mais lembradas em Fist of Fury (A Fúria do Dragão), em que o herói foi interpretado pelo astro Bruce Lee, em 1972, e em Fist of Legend (Lutar ou Morrer), por Jet Li, em 1994.

O longa é dirigido por Andrew Lau, responsável por Infernal Affairs (que foi refilmado como Os Infiltrados, por Martin Scorcese) e deve pintar na tela grande por volta de 22 de abril. O ator Donnie Yen cuidou de todas as cenas de luta, bem como de dar vida ao lendário Chen Zhen.

Resta esperar pra que alguma distribuidora se interesse em trazer a produção pra cá, mas aí já estou sendo otimista demais, né?

Então, curta o trailer e depois diga o que achou!

Os Mercenários – clichê que diverte 13/08/2010

Posted by blogdolevitrindade in Cinema.
Tags: , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Finalmente estreia o filme de ação Os Mercenários (The Expendables, no original), escrito, dirigido e protagonizado por um dos maiores astros das películas de ação dos anos 80: Sylvester Stallone.

Consagrado internacionalmente justamente por esse estilo de produção, Sly volta às suas raízes nesse longa-metragem, arregimentando diversos astros ligados ou não à sua época de ouro, mas todos com algo em comum: atores de filmes de ação.

Estão lá Jet Li (que veio a ser reconhecido mundialmente depois de participar de Máquina Mortífera 4, apesar de já ter uma extensa carreira em sua terra natal), Dolph Lundgren (descoberto em outro filme estrelado por Stallone, Rocky IV), Terry Crews (ex-jogador de futebol americano, intérprete do pai do personagem principal da série Todo Mundo Odeia o Chris, além de ter feito parte de Gamer e Exterminador do Futuro: A Salvação), Randy Couture (lutador de vale-tudo, participou de O Escorpião-Rei 2), Steve Austin (astro da luta livre, visto no filme Os Condenados), Mickey Rourke (A Colônia, Homem de Ferro 2) e Jason Statham (Carga Explosiva e Adrenalina, entre outros).

Sem contar o próprio Stallone, além de Bruce Willis (Duro de Matar) e o hoje governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger (Conan, Comando para Matar, Exterminador do Futuro… hã, preciso continuar mesmo?), em participações especiais que fazem um sorriso se abrir no rosto do espectador.

Mas vamos direto ao filme e seus clichês, ok?

Tem explosões pra todos os lados, um ditador imbecil que demonstra sérios sinais de loucura, um ex-agente federal americano canalha até não poder mais, a ex-namorada que apanha de um novo companheiro e precisa ser defendida, a luta contra um amigo, perseguições, muitas lutas e pancadaria, uma bela mulher que precisa ser salva, a honra que necessita ser resgatada, a redenção por meio de um ato nobre, frases de efeito em horas de perigo, piadas sem graça que só podiam estar num filme desses, a trágica história de um dos integrantes do grupo…

Enfim, tudo o que se espera. Logo, se seu objetivo é assistir a um filme sem muitas pretensões, esse é o escolhido. Os Mercenários tenta evocar o clima dos anos 80, apelando pra tudo de bom e ruim das produções de ação da época, amparado pela tecnologia dos dias atuais.

Como atrativo extra, tem a participação da atriz Giselle Itié, que se torna a principal razão da mudança de comportamento de Sly e seus colegas soldados da fortuna. Ah, sim, uma parte do filme foi rodada numa cidade do Rio de Janeiro, mas fazendo as vezes de republiqueta latino-americana. E é engraçado como o ditador e seu exército parecem com o venezuelano Hugo Chávez e seus soldados.

Os Mercenários é um filme de homens para homens. As lutas são excepcionalmente bem coreografas, e as explosões e mortes, quando ocorrem, fazem o público vibrar. É algo com que Sylvester Stallone já tinha obtido êxito em Rambo 4.

O resultado é um filme que diverte no que se propõe, sem ter como objetivo querer ser um  longa memorável. O que importa mesmo é se o espectador ficará satisfeito ao final. E isso com certeza ele consegue. Ponto para Stallone e seus amigos.