jump to navigation

X-Men: Primeira Classe – vale a pena assistir de novo 01/06/2011

Posted by blogdolevitrindade in Cinema.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
7 comments

Segunda-feira, dia 30 de maio, fui à pré-estreia de X-Men: Primeira Classe (X-Men: First Class), e pude conferir o tão aguardado novo filme da franquia mutante.

Pra começar, o peso de Bryan Singer (X-Men, X-Men 2) como produtor e corroteirista se faz sentir em muitos momentos do longa, mas sem apagar o brilho próprio do diretor Matthew Vaughn (Kick-Ass, Stardust). Sinceramente, não vejo isso como um ponto negativo; na verdade, a soma das habilidades de ambos resultou num produto final muito bacana.

O elenco está sensacional, com especial destaque para os atores que dão vida a Banshee, Mística e Fera, respectivamente Caleb Landry Jones, Jennifer Lawrence e Nicholas Hoult. Como não poderia deixar de ser, os atores James McAvoy e Michael Fassbender entregam interpretações inspiradas de Charles Xavier e Magneto, repetindo o feito da dupla Patrick Stewart/Ian McKellen nos três filmes anteriores estrelados pelos mutantes da Marvel.

Mas se tem um ator que me surpreendeu foi Kevin Bacon, que, fazendo jus ao seu sobrenome, é maligno na medida certa – ou você acha que o bacon é seu amigo? -, dominando as cenas em que aparece. Ou seja, ele é o cara! Sua atuação como o maquiavélico Sebastian Shaw é tão boa ou melhor do que bacon!

Agora, se teve alguém que não impressionou muito foi a atriz January Jones, que faz o papel de Rainha Branca. Nos quadrinhos, ela é o símbolo máximo da luxúria e da voluptuosidade. Porém, em X-Men: Primeira Classe, ela parece mais uma ativista de alguma campanha pró-anorexia. Magrinha, viu…

Os figurinos estão sensacionais, remetendo à época em que se passa a história. E a costura que foi feita entre os fatos históricos e a saga dos mutantes no longa-metragem ficou fascinante e totamente crível.

Entre as coisas que todos esperavam ou não ver, estão a criação do Cérebro, o protótipo da Sala de Perigo, o Pássaro Negro…

Mas se teve algo que fez muita gente ficar bastante empolgado mesmo foram as participações especiais. Não vou falar aqui quais foram pra não estragar a alegria de quem ainda não viu. Porém, se você acompanhou todas as notícias que rolaram durante a produção do filme, deve saber de quem estou falando.

Ah, sim, e a cronologia? Bom, a menos que você seja um fã xiita, não vai ficar incomodado com os arranjos que foram feitos pra que alguns personagens aparecessem. E, na boa, não faz a menor diferença.

Enfim, se você precisa de algum motivo pra ir ao cinema e assistir ao novo X-Men, creio que posso dizer que é uma produção extremamente divertida, com drama e ação na medida certa. Só um detalhe: não teve nenhuma cena depois dos créditos. Que chato, hein, Fox?

Apesar disso, você nem vai reparar nesse detalhe bobo. O que vale mesmo é curtir as mais de duas horas de duração da película e esperar pela continuação – pois, assim que acaba o filme, você fica desesperado pra saber quando vem o próximo!

Não esqueça: X-Men: Primeira Classe estreia nesta sexta, 3 de junho! Pra não ficar chateado até lá, dê uma conferida no trailer logo abaixo.

Wolverine… um filme muito bom! [Atualizado] 27/04/2009

Posted by blogdolevitrindade in Cinema.
Tags: , , ,
1 comment so far

O cartaz do filmeCheguei faz algumas horas da cabine de imprensa do filme X-Men Origens: Wolverine, cuja estreia no Brasil será agora em 30 de abril.

O longa-metragem do diretor sul-africano Gavin Hood (Infância Roubada) tem um excelente ritmo e consegue ser uma adaptação que deixará muitos fãs com um enorme sorriso aberto no rosto.

Sem querer soltar nenhum spoiler, é possível dizer que o filme mostra toda a trajetória do personagem conhecido como o melhor no que faz. Ele pesca elementos da minissérie Origem, escrita por Paul Jenkins e desenhada por Andy Kubert, e também do especial Arma X, de Barry Windsor-Smith (ambos publicados pela Panini), além de diversos momentos da fase do anti-herói publicados ao longo dos anos. Mérito do roteiro de David Benioff.

Como não podia deixar de ser, Hugh Jackman domina todas as cenas com sua interpretação de Wolverine. E é incrível como, a cada novo filme, ele fica ainda mais parecido com Clint Eastwood.

Deadpool, o mercenário tagarelaAs já tão comentadas participações de Deadpool e Gambit são muito bacanas e valem cada fotograma. E é incrível como a plateia vibrou em cada cena que esses dois mutantes apareceram, pedindo por mais!

O sádico Victor CreedOutro que merece destaque é o ator Liev Schreiber, que, num primeiro momento, não me convenceu como o escolhido para ser o sanguinário Dentes-de-Sabre. No entanto, ele conseguiu provar o motivo de ter sido escalado para o papel e deu um show.

Pra fechar, é completamente satisfatória a forma como arranjaram pra ligar X-Men Origens à franquia dos X-Men. Os fãs irão ao delírio em uma das cenas finais.

Gambit em açãoE um aviso: não saia do cinema até passar o último dos créditos. [Atualização 1] Esqueci de avisar que são duas cenas após o início dos créditos. Uma logo depois que passam os nomes dos atores e seus personagens e a outra – a mais importante – depois que acabam os créditos [fim da atualização 1]. É sério! Caso contrário, você perderá uma cena que pode dar uma pista sobre a continuação. Sim, é muito provável que o filme gere uma sequência. Duvido muito que isso não aconteça. O carisma de Hugh Jackman aliado ao do próprio Wolverine criou uma nova e rentável fábrica de dinheiro. Enquanto Jackman não ficar entediado com o papel, acredito que ainda teremos mais longas baseados no carcaju mutante.

[Atualização 2] Como não assisti à versão que vazou pela internet, não tenho como comentar se são muito diferentes. Assim que eu fizer isso, comento por aqui. [Fim da atualização 2]

E viva a selvageria!

 

Band of brothers