jump to navigation

Capitão América: aventura pra assistir mais de uma vez 29/07/2011

Posted by blogdolevitrindade in Atualidades, Cinema, Quadrinhos.
Tags: , , , , , , , , , ,
add a comment

Se você costuma passar pelo cinema de vez em quando, ou acompanha a divulgação de novos filmes pela internet, tevê ou jornais, já deve saber que estreia hoje o filme Capitão América: O Primeiro Vingador (Captain America: First Avenger), dirigido por Joe Johnston (O Lobisomem).

O longa-metragem é baseado no personagem das HQs que surgiu em 1941, no auge da propaganda antinazismo, criado pelo roteirista Joe Simon e o desenhista Jack Kirby, para a editora Timely Comics (a atual Marvel).

Steve Rogers, o jovem destinado a se tornar o heroico Capitão América, era um rapaz extremamente franzino e doente, motivo de chacota pros fortões. Mas o que lhe faltava em força e tamanho era compensado pelo seu coração disposto a fazer o possível para ajudar aqueles em necessidade. E é assim que ele acaba fazendo parte de um projeto ultrassecreto que o transforma num verdadeiro símbolo na luta contra a máquina de guerra de Adolf Hitler.

Essa é basicamente a premissa da origem do Capitão. Em meio a isso, surge o vilão Caveira Vermelha, que se torna um dos maiores adversários do herói ao longo das décadas. O roteiro do filme se apropria desses elementos para criar a sua própria versão da origem dos dois antagonistas, bem como acrescentar elementos novos que foram baseados em 70 anos de trajetória editorial do super-herói patriota.

Com aventura, humor e ação bem dosados, o diretor acerta em cheio na condução da trama, não deixando nunca a peteca cair. Claramente, ele foi muito beneficiado pelo elenco, que está primoroso. Chris Evan (Scott Pilgrim Contra o Mundo, Quarteto Fantástico), que deu algumas declarações aparentando ter muito medo da reação dos fãs quanto à sua escalação, pode dormir tranquilo, pois entregou uma interpretação que não compromete; aliás, não fica devendo pra ninguém do elenco.

Hugo Weaving surpreende ao dar vida a um Caveira Vermelha crível e completamente diabólico. Sem contar que ele parece estar curtindo muito ser o maior vilão a dar a cara nos cinemas nas produções hollywoodianas recentes.

Tommy Lee Jones faz o seu trabalho exemplar habitual, entregando o papel do coronel Chester Phillips em que dosa humor e seriedade sem se tornar caricato.

Sebastian Stan, que dá vida a Bucky Barnes, é o típico jovem estadunidense ansioso por combater os nazistas e aquele que fica com todas as garotas, enquanto seu amigo Steve se contenta em levar a vida sem maiores expectativas.

Stanley Tucci faz o que se espera dele: consegue trazer carisma e simpatia por um personagem que nunca foi tão explorado nos quadrinhos. No caso, o cientista Abraham Erskine.

Não posso deixar de citar Neal McDonough, que empresta seu talento para o militar Dum Dum Dugan, bastante conhecido dos fãs dos gibis da Marvel. Em alguns momentos, quando ele e a turma do Comando Selvagem surgem na telona, parece até que o diretor emprestou cenas de Bastardos Inglórios.

E o que dizer de Dominic Cooper e Toby Jones, que interpretam Howard Stark e Arnim Zola, respectivamente. Stark é o que se espera dele: canastrão, mulherengo, bon vivant e genial. Quanto a Zola, é o cientista que ajuda o Caveira nas empreitadas malucas dele. Se você já conhece o personagem dos quadrinhos, vai se divertir quando ele surgir pela primeira vez na tela.  

Bom, por fim, encerro falando de Hayley Atwell, a inglesinha bonita que faz o papel de Peggy Carter, a antiga paixão do Capitão. Dona de uma beleza clássica, além de tudo interpreta uma personagem audaciosa e determinada. Sua presença é muito marcante em todas as cenas em que aparece. Ah, sim, antes que eu me esqueça: Stan Lee faz a sua habitual ponta.

E pra quem tem receio de assistir ao filme por medo dele ser uma verdadeira aula de nacionalismo estadunidense, pode ficar sossegado, pois o diretor se afastou o máximo que conseguiu desse aspecto. Na verdade, ele apelou mais pra empatia que todos podem ter ao ver os dramas de Steve Rogers e a sua tenacidade em conquistar seus objetivos.

Como não poderia deixar de ser, é desnecessário dizer que não se pode sair da sala de projeção depois dos créditos, pois tem uma cena pra fazer uma ponte com a próxima superprodução do Marvel Studios,o filme dos Vingadores, que estreia no ano que vem. Apesar dessa necessidade em preparar o terreno pra superequipe, Capitão América tem um excelente roteiro e consegue entregar uma historia mais centrada em si, do que preocupada em mostrar outros personagens das produções futuras.

Capitão América: O Primeiro Vingador tem 124 minutos de duração e está sendo exibido nas versões dublada e legendada, e vem também em 3D. Mas, sinceramente, o 3D não faz muita diferença no todo. Porém, tenho de admitir que em pelo menos uma cena o tontão aqui tomou o maior susto com um dos ricochetes do escudo do Capitão. Curta o trailer logo abaixo e depois se prepare pra ver o longa no cinema!